A primeira parte da quinta e última temporada de  "La Casa de Papel" estreia-se esta sexta-feira, dia 3 de setembro, na Netflix. No primeiro lote de cinco episódios ("O Fim da Estrada", "Acreditas na Reencarnação?", "O Espetáculo da Vida", "O Teu Lugar no Céu" e "Viver Muitas Vidas"), a inspetora Alicia Sierra promete complicar a vida ao Professor e à sua equipa e deixar os fãs com nervos em franja.

O SAPO Mag esteve à conversa com Najwa Nimri, atriz que veste a pele de Alicia Sierra. Antes do papel em "La Casa de Papel", a artista espanhola brilhou em "Vis a Vis", ao interpretar Zulema Zahir, a principal antagonista da série.

De ascendência jordana-espanhola, a atriz conta com uma longa carreira no cinema, tendo-se estreado em "Salto al vacío", de 1995. "Lucía e o Sexo" (2001), "Utopía" (2003), "El método" (2005), "Habitación en Roma" (2010), "The Wine of Summer" (2012) ou "El árbol de la sangre" (2018) foram alguns dos trabalhos de Najwa Nimri no grande ecrã.

Ao longo da carreira, Najwa já esteve na corrida por cinco prémios Goya (1999, 2001, 2002, 2003 e 2019) e venceu, por exemplo, o Grand Honorary Award na edição de 2020 de Sitges - Catalonian International Film Festival.

Toda a experiência ajudou a atriz a dar vida à imprevisível e obstinada inspetora Alicia Sierra.

"Queria estar do lado contrário, queria ser uma vilã"

Foi graças ao seu papel na série espanhola "Vis a Vis", que também pode ser vista na Netflix, que Najwa Nimri foi desafiada a juntar-se ao elenco de "La Casa de Papel" - inicialmente, a atriz foi desafiada a vestir o macacão vermelho, mas outros trabalhos adiaram a sua estreia na série.

"Tinha acabado de interpretar Zulema em 'Vis a Vis' com a equipa [de 'La Casa de Papel'], já os conhecia e sabia a energia que tinham. No início, foi-me sugerido fazer parte dos assaltantes, ter o papel de uma das mulheres da equipa. Mas nada estava confirmado. Estava a fazer um filme e assim continuei. A série não teve muito sucesso em Espanha, mas começou a crescer em todo o mundo e eles decidiram fazer uma nova temporada. Então, desde o primeiro momento que quis fazer parte da polícia. Queria estar do lado contrário, queria ser uma vilã", confessa.

374_20190316_LCDP_S3_tamaraarranz_DSC_4306.nef

"Achei que estar do lado da lei era a coisa certa. Falei com Alex Piña [o criador], com as responsáveis pelo casting e tal, e deram-me a oportunidade de fazer esta personagem. Estou muito feliz", conta a atriz, frisando que sempre foi fã do trabalho de toda a equipa de "La Casa de Papel". "Era fã da equipa responsável por 'La Casa de Papel', porque tinha filmado com eles. Sentia-me capaz de estar no meio daquela energia incrível do [Alex] Piña e do [Jesús] Colmenar, e no meio de todos os componentes desta fantasia. Tens de estar ao nível e que o que te exigem retira-te muita energia. E durante a pandemia, foi ainda mais complicado", revela.

Mas caso estivesse do outro lado da barricada, Najwa Nimri não teria dúvidas em relação à cidade que escolheria como nome para a sua personagem. "Se fosse um dos assaltantes? Acho que não podia escolher nenhum nome que já existe e, por isso, escolheria Madrid. Porque é uma cidade que adoro. É uma cidade que não tem assim tanto romantismo, mas que tem muita paixão", confessa.

O rabo de cavalo, o vestido e os chupa-chupas

A proximidade entre a atriz e a equipa de "La Casa de Papel" foi fundamental na construção de Alicia Sierra, personagem que tem estragado todos os planos ao Professor (Álvaro Morte) e que não é admirada pelos colegas. "Eles já me conheciam pelo papel de Zulema, sabiam que queriam muita energia. Tinha de ter uma energia muito alta", conta a atriz. "A personagem tinha de ter uma visão um pouco mais cómica e, então sugeri aquele rabo de cavalo, aquele vestido, as sardas, os chupa-chupas e todos aqueles pequenos detalhes que estavam já escritos e que continuei a explorar e que eles foram 'comprando'. Tudo isto faz com que a Alicia seja uma personagem que pode estar dentro de uma história com estas características, quase como uma banda desenhada", explica Najwa Nimri ao SAPO Mag.

À conversa com Najwa Nimri, a inspetora Sierra de

"O maior desafio foi fazer esta personagem quase como se fosse de um filme de terror - foi assim que pensámos nela -, mas também deixar uma porta aberta para o lado humano, sem que isso causasse dúvidas", conta a atriz, acrescentando que a inspetora Sierra é "complexa": "O que mais gostei de explorar é o que todos vão ver no final de todos os episódios. Não se vai perceber até ao final da temporada, que se estreia em dezembro. O que eu gosto é que é uma personagem complexa... porque é uma mãe que não dá atenção ao facto de estar grávida. Isso acontece na vida real. A partir do sexto mês, as hormonas sobem e podes sentir-te melhor do que nunca. Ela pensa que tem super-poderes e, em vez de se sentir mal, vai em frente com a barriga".

A relação com o Professor

A relação entre Alicia Sierra e o Professor será um dos pontos altos da última temporada, com a inspetora a conseguir estar um passo à frente de todos os planos. "Como ela não quer chegar a casa e pensar que vai ter um bebé do marido que perdeu, ela continua no jogo... Ela é uma jogadora e encontrou o seu melhor adversário. O Professor é o jogador número e ela vai atrás dele para não parar - ela não quer parar, na verdade", frisa a atriz.

"Não sei como os fãs não me odeiam mais, é inexplicável. Vá lá, é uma personagem absolutamente detestável. O que se passa... bem, vamos ver o que acontece no final", graceja Najwa Nimri, aditando que há algumas diferenças entre o primeiro e o segundo volume da quinta temporada: "Não vos posso cantar muito sobre a nova temporada. Posso dizer que os primeiros cinco episódios são mais bélicos e, na segunda parte, vamos conhecer mais o interior das personagens, mas sem perder o lado bélico".

O sucesso de "La Casa de Papel" e a fama mundial

A partir desta sexta-feira, dia 3 de setembro, "La Casa de Papel" promete voltar a ser o tópico das conversas nas redes sociais e conquistar o top diário da Netflix um pouco por todo o mundo. Depois de quatro temporadas, o sucesso da série espanhola parece não desvanecer. "São muitas as coisas que podem explicar o êxito. Além do elenco, a iconografia, o momento em que estreia e o facto da Netflix estar na frente do streaming", defende a atriz.

Apesar de já contar com uma longa carreira no mundo da representação e da música, Najwa Nimri tornou-se popular nos quatro cantos do mundo graças a "La Casa de Papel". Ao SAPO Mag, a atriz confessa que é tudo uma fase. "A fama? Acho que há sempre picos altos e picos muito baixos. A tua vida vai mudando, obviamente. Mas já vivi fases da minha vida em que era muito, muito conhecida e depois deixei de o ser. Já me aconteceu antes. Não me apanha com 19 anos, menos mal", brinca.

Veja o trailer da primeira parte da quinta e última temporada:

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.