A jornalista Noelia Novillo noticiou no ar a morte do homem de 81 anos, que em dezembro ficou famoso por ter sido o primeiro homem a receber uma vacina contra o novo coronavírus, acreditando que se tratava do escritor, um dos maiores autores da história da literatura.

"Estamos a receber informações que nos deixam de boca aberta perante a magnitude desse homem. Estamos a falar de William Shakespeare e da sua morte", iniciou Novillo no seu espaço no canal de notícias 26.

"Vamos revelar o motivo, o porquê. A verdade é que ele é um dos escritores mais importantes, para mim a maior referência da língua inglesa. Ele é o primeiro homem que recebeu a vacina contra o coronavírus. (...) Morreu em Inglaterra, aos 81 anos", acrescentou, para perplexidade de muitos telespectadores.

Minutos depois, o excerto com as suas declarações circulou nas redes sociais, inundadas de piadas, memes e até insultos.

"Uma notícia tornou-se viral nas últimas horas. Na verdade, eu sabia e conhecia o que estava a dizer e a comentar, como sempre, para todas as pessoas. Mas expressei-me mal, faltou-me uma pontuação, faltou uma vírgula, um parênteses. Queria esclarecer uma coisa, fui pouco explícita e as pessoas, claro, interpretaram mal", disse:

Bill Shakespeare, o homem imunizado com a vacina da Pfizer em dezembro no Hospital Universitário na cidade inglesa de Coventry, morreu na passada quinta-feira por causas diferentes da COVID-19.

William Shakespeare, autor de clássicos da literatura mundial como "Romeu e Julieta", "Macbeth", "Hamlet" e dezenas de outros, também morreu em Inglaterra, mas em 1616.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.