De entrada livre, o certame garante nove dias de animação, com uma feira franca, vários eventos e concertos diários, em que se destacam as atuações de Matias Damásio (dia 3), Miguel Gameiro (4), Toy (5), Sónia Costa (6), Gisela João (7), Plutónio (8), The Black Mamba (09), Bárbara Bandeira (10) e Avô Cantigas (11).

“É o melhor cartaz de sempre e vamos pulverizar todos os recordes de afluência”, anteviu o presidente da Câmara [distrito de Coimbra], Emílio Torrão, salientando que o cartaz acarreta um aumento de 10 mil euros em relação às festas de 2019, embora o orçamento de 400 mil euros se mantenha idêntico.

Segundo o autarca, que apresentou hoje o programa em conferência de imprensa, o evento vai contar com espaço institucional, com cerca de 200 metros quadrados, para cerimónias institucionais, posto de informação e divulgação turística do concelho.

A Morlândia, espaço de diversão para crianças, cresce em tamanho, com cerca de 2.000 metros quadrados, atividades e diversão, num evento que pretende ser ambientalmente sustentável, com a implementação, pela primeira vez, de copos reutilizáveis, e o reforço dos pontos de separação seletiva de resíduos.

Além dos expositores de artesanato, comércio, indústria e serviços e das feiras franca e das cebolas, que decorrem entre 5 e 8 de setembro, a Feira do Ano de Montemor-o-Velho conta com uma mostra permanente de doçaria, tasquinhas, a Feira do Cavalo, uma corrida de toiros (dia 4) e o Grande Prémio Alves Barbosa (3 e 4 de setembro).

“Depois da pandemia da COVID-19, voltamos juntos para uma Feira do Ano, que sempre foi a nossa marca distintiva. Representamos a resiliência e a força criadora das pessoas do concelho, que tem vindo a evoluir e a afirmar um modelo de desenvolvimento que é seguido noutros concelhos”, salientou o presidente do município.

Emílio Torrão sublinhou ainda que as festas concelhias pretendem “manter e reforçar o seu cunho de identidade local, em que as freguesias continuam a ter um papel preponderante na animação, com as suas filarmónicas e os diversos grupos etnográficos e de dança a mostrarem todo o seu valor e conquistarem cada vez mais público”.

No total, o certame ocupa uma área de mais de 110 mil metros quadrados, dos quais 78 mil se destinam à Feira da Roupa Velha, Feira das Cebolas, Feira Agrícola e Industrial, atividades equestres e mostra de doçaria regional e 32 mil metros quadrados estão afetos a áreas de exposições e animação.

Considerada a afirmação da economia, a Feira do Ano vai manter o seu formato híbrido, com uma montra digital para divulgar e promover os expositores, que foi criado durante os anos da pandemia da COVID-19.

O município disponibiliza ainda sete parques de estacionamento, que garantem cerca de 1.800 lugares de estacionamento nas imediações do evento.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.