Este romancista, muito popular desde a publicação de “A Verdade sobre o caso de Harry Quebert”, em 2012, foi 'fiel' à Editions de Fallois.

“Depois de dez anos nesta casa e três anos depois do desaparecimento de Bernard de Fallois, a quem devo tudo, decidi deixar as Editions de Fallois no final deste ano. Não me imagino com outra editora que não aquela que me ensinou tudo, é natural que opte por criar a minha própria estrutura editorial, que verá a luz no dia 01 de janeiro de 2022”, escreveu o autor através de uma nota enviada à France-Presse (AFP).

Em 2020, Dicker foi o quinto autor mais lido em França, em 2020, com 735.000 exemplares vendidos.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.