“Pelo segundo ano, os concertos acontecem num relvado adaptado às exigências de distanciamento social da pandemia com o espaço dividido em quadrados para coabitantes e com a lotação reduzida”, afirmou a Casa das Artes, em nota de imprensa enviada à agência Lusa.

A 31 de julho, o espaço sediado na Avenida Sá da Bandeira recebe um concerto de Maria Reis, que apresenta em Coimbra o disco “A Flor da Urtiga, gravado em colaboração com Noah Lennox, músico dos Animal Collective e também conhecido como Panda Bear.

“O disco editado pela Cafetra Records é, nas palavras da própria Maria, algo que dói e é bom e que, como as urtigas, floresce”, salienta a Casa das Artes.

Segue-se a 14 de agosto a atuação do Passepartout Duo, composto pela pianista Nicoletta Favari e o percussionista Christopher Salvito, que estreiam-se a tocar em Portugal.

A 28 de agosto, será a vez de Julinho da Concertina tocar no jardim da Casa das Artes, num repertório em torno do funaná.

O músico cabo-verdiano, sediado na Amadora e que se cruzou ao longo da sua carreira com músicos como Alexandre Monteiro ou Cesária Évora, editou em 2018 o álbum “Diabo Tocador”, com a chancela da CelesteMariposa.

Segundo a Casa das Artes, “o público tem estado presente em força e esgotado quase todos os concertos” da temporada, tal como em 2020.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.