Já com a sua árvore de Natal montada e com as luzes a piscar, Jamie Cullum recebeu na sua "sala", via Zoom, um pequeno grupo de fãs e de jornalistas de todo o mundo. Acompanhado apenas pelo seu piano e um computador, o músico apresentou o seu novo álbum, totalmente dedicado à quadra natalícia - o disco "The Pianoman At Christmas" chegou esta sexta-feira, dia 20 de novembro.

No concerto online e privado, adaptado à nova realidade, o artista apresentou os novos temas ao seu estilo, sempre irrequieto e divertido. Entre as canções, Jamie Cullum explicou todos os detalhes do processo criativo, começando por revelar que o álbum começou a ganhar forma no início da pandemia, enquanto estava fechado em casa, de calções.

Sempre com o seu bloco de notas à mão, o músico foi rabiscando as 10 canções que compõem o disco. "Queria fazer algo divertido e ao mesmo tempo um tributo à tradição", confessou Jamie Cullum no arranque do pequeno concerto via Zoom. "A ideia era fazer um álbum inspirado nos clássicos, mas com músicas originais que refletissem o momento que estamos a viver agora", acrescentou.

"Não ter em digressão, ter a digressão cancelada, deixou-me espaço livre na minha cabeça. Não andava de avião em avião, não discutia com minha mulher sobre querer estar em casa. Em vez disso, estava em casa e a passar o meu tempo com a minha família. Por isso, de muitas formas, consegui ter mais espaço criativo. E em casa também posso correr para o piano porque era uma espécie de espaço de criação fora do caos. Algumas pessoas fizeram pão, outras pessoas fizeram bricolage. Eu fiz muitas músicas. Tivemos todos formas de lidar com tudo isto", explicou.

Jamie Cullum recorda que já tinha a ideia de fazer um álbum de Natal há algum tempo. "Também participei no disco de Natal do Robbie Williams e o projeto certamente que me inspirou. Enchi um caderno inteiro de títulos, ideias de textos, rascunhos. A ideia era criar um álbum durante a digressão e lançar em 2021. Mas a minha digressão começou e acabou rapidamente e, então, tive muito tempo. De manhã tinha aulas com os meus filhos, à tarde estava no piano", contou.

Jamie Cullum

Enquanto apresentava os temas, Jamie Cullum revelou ainda que o álbum conta com a participação de 57 músicos e que foi gravado durante cinco dias nos estúdios de Abbey Road. Durante as gravações, todos usaram máscara e muitas das conversas foram feitas à distância, contou o artista.

"Foi incrível poder passar pelo lugar onde tocaram os maiores músicos e engenheiros de áudio do mundo, usar o microfone dos Beatles…", recordou.

Aos fãs e jornalistas, o cantor contou também que se inspirou em vários clássicos de Natal. Por exemplo, "Jolly The Fatman Is Back" tem como base o tema "Santa Claus Is Comin' to Town". Mas o Pai Natal volta a ser "convocado" por Jamie Cullum em "So Many Santas", canção sobre os vários 'homens de barba branca' que distribuem presentes.

Já o tema "Have Yourself a Merry Little Christmas" foi a principal inspiração para "Beautiful Altogether", uma tema que celebra a união do Natal. Já "Turn on the Lights", o primeiro single do disco e que está disponível em todos os serviços de streaming, recorda o trompete de "Penny Lane" e "Ob-La-Di, Ob-La-Da", dos Beatles.

Na conversa, Jamie Cullum contou ainda "Hang Your Lights" foi o primeiro tema escolhido para dar nome ao álbum. "Disseram-me que era um grande título, muito bom... mas lembraram que tínhamos de ter uma canção com a palavra Natal no título, para as pessoas saberem que é um álbum de Natal. Disse 'ok, eu entendo'. E decidi que fosse 'The Piano Man at Christmas'. Estou muito feliz com o título porque é uma canção semi-autobiográfica sobre uma pessoa que trabalha no Natal. Ele vai de festa em festa, vive várias histórias de amor, mas sente falta da pessoa que ama de verdade. Faz sentido que seja este o título, porque o Natal traz consigo várias emoções", explicou.

"Queria que este álbum fosse uma homenagem aos álbuns de Natal do passado, mas com letras que representassem o Natal do presente. O Natal 2020 não será tradicional, algumas canções vão refletir esta não tradição", frisou o artista, lembrando que, num 'ano normal', estaria em digressão e não a apresentar o disco via Zoom. "Obrigado pela vossa presença. Onde quer que estejam, espero que estejam bem. Normalmente estaria aí a tocar ao vivo e dizer olá pessoalmente", rematou.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.