“Quero oferecer mil desculpas a todas as pessoas que se sentiram ofendidas, especialmente às mulheres e à comunidade negra”, disse o artista num vídeo postado na sua conta no Instagram.

O videoclip, que mostra Balvin com duas mulheres negras mascaradas de cadelas, gatinhando ao seu lado e amarradas pelo pescoço com correntes, indignou utilizadores de redes sociais e personalidades públicas. A vice-presidente da Colômbia, Marta Lucía Ramírez, acusou o músico de promover mensagens "machistas" e "racistas".

“Em resposta, e obviamente por respeito, tirei o vídeo [do YouTube] há oito dias. Ao ver que as críticas continuaram, estou aqui (...) a mostrar a cara”, acrescentou o cantor de 36 anos.

No início do videoclip, Balvin diz que está a partir para um "submundo" e depois aparece como o único mestiço de pele clara a dançar entre dezenas de pessoas negras num bairro pobre.

"Perra" é uma parceria de Balvin com Tokischa, uma rapper negra nascida na República Dominicana que também protagoniza o videoclip. Na letra, o vencedor de cinco Grammys Latinos compara, de maneira explícita, a obsessão por sexo com a procura de uma cadela por um cão para acasalar.

Antes de Balvin remover o vídeo do seu canal no YouTube, este ultrapassou 10 milhões de visualizações e ainda pode ser visto noutros canais da rede social.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.