A interpretar “As Flores do Mal” estão o barítono Rui Baeta e as sopranos Inês Simões e Célia Teixeira, acompanhados por um ensemble composto por Daniela Pinheiro (flauta), Magda Pinto (viola de arco), Sofia Azevedo (violoncelo) e Samuel Pedro (contrabaixo).

Os poemas “condenados” e banidos do livro “As Flores do Mal” foram o ponto de partida para a criação do libreto e composição musical desta ópera que exalta a transgressão poética de Charles Baudelaire nas múltiplas e contraditórias emoções do masculino e do feminino estreada no Palácio do Sobralinho, em outubro de 2019.

Considerada um dos expoentes máximos da poesia moderna e simbolista, a obra do poeta francês, publicada em 1857 e recolhida poucos dias após o seu lançamento por atentado à moral, aborda as temáticas intemporais do amor e do erotismo, desejo, vício, solidão e decadência, com uma inquietante sensualidade. Seis poemas foram suprimidos para que o livro de Baudelaire pudesse voltar a ser editado.

Trata-se da terceira ópera estreada e editada pela Inestética companhia teatral, que anteriormente já tinha lançado “O Corvo” (2016), a partir de Edgar Allan Poe, e “Tabacaria” (2018), a partir de Álvaro de Campos/Fernando Pessoa.

Esta edição, com o apoio do Ministério da Cultura, Direção-Geral das Artes e Câmara Municipal de Vila Franca de Xira, pode ser encomendada em exclusivo no site da companhia.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.