O primeiro-ministro, António Costa, atribuiu esta quinta-feira a medalha de Mérito Cultural ao encenador Tiago Rodrigues, que, após ter dirigido o Teatro D. Maria II, foi nomeado diretor do Festival de Avignon em julho.

Depois de ter assistido à sessão de estreia em Lisboa da peça de teatro “O Cerejal”, numa encenação de Tiago Rodrigues que está atualmente no palco do Teatro Nacional D. Maria II, António Costa atribuiu a medalha de Mérito Cultural ao encenador, congratulando-o pelo “excelente trabalho” que desenvolveu nos sete anos à frente do D. Maria II.

“Queria agradecer ao Tiago Rodrigues (…) a forma como foi capaz de transformar um teatro que tem 175 anos, abrir as portas deste teatro ao mundo, levá-lo um pouco a todos os cantos do mundo, e percorrer todo o país com este teatro”, frisou o chefe do executivo, que desejou ainda “bonne chance” ao encenador português para as “novas aventuras” que irá ter em França.

Numa cerimónia onde também participou a ministra da Cultura, Graça Fonseca, Tiago Rodrigues afirmou que a distinção outorgada pelo primeiro-ministro não o “eleva acima de qualquer outra pessoa que trabalha na cultura ou nas artes”, defendendo que o trabalho feito nas artes teatrais “é tão profundamente coletivo” que a medalha também pertence a todas as pessoas com quem “teve a sorte de fazer teatro”.

“Eu acredito que o teatro, essa assembleia humana, esses coletivos que o fazem, mas também o coletivo que permite que ele aconteça como esta noite, é um vaso comunicante fundamental do coração da democracia e é hoje, provavelmente, uma das grandes bolsas de resistência da liberdade de pensamento”, salientou.

Em julho, Tiago Rodrigues foi escolhido como o próximo diretor do Festival de Avignon, um dos mais importantes eventos de teatro do mundo, iniciando oficialmente funções a 1 de setembro de 2022 e assegurando a primeira edição do festival com a sua assinatura até 2023.

Com uma carreira de mais de duas décadas, Tiago Rodrigues tem sido presença regular em palcos internacionais, tendo sempre por base Portugal, seja através da companhia que criou, Mundo Perfeito, ou do compromisso assumido com o Teatro Nacional D. Maria II, em Lisboa, que dirige desde 2014 e onde viu recentemente renovado o mandato até 2023.

Prémio Pessoa em 2019, Tiago Rodrigues foi cofundador e diretor artístico da companhia Mundo Perfeito, tendo, ao longo de cerca de uma década, criado mais de 30 peças, apresentadas em cerca de 15 países da Europa, América do Sul, Médio Oriente e Ásia.

A primeira presença de Tiago Rodrigues no Festival d'Avignon aconteceu em 2015, onde apresentou a peça "António e Cleópatra", tendo voltado nos anos seguintes com diferentes trabalhos.

Na edição deste ano do Festival de Avignon, Tiago Rodrigues tinha estreado a peça “O cerejal”, de Tchékhov, que está atualmente em cena no teatro D. Maria II até dia 19 de dezembro.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.