Álbum a álbum, Carolina Deslandes tornou-se uma das maiores artistas nacionais e uma inspiração para milhares de jovens. Com as suas canções, conta ao país as suas histórias de amor e desamor, ao mesmo tempo que luta em cada verso por um mundo mais justo para as mulheres.

Na noite desta quinta-feira, dia 7 de dezembro, na Super Bock Arena - Pavilhão Rosa Mota, no Porto, a artista viajou por todas as histórias. Depois do concerto na Altice Arena, em Lisboa, a cantora foi recebida com casa esgotada na maior sala da cidade Invicta.

A viagem arrancou ao som de "Raiva", depois de ser exibido no grande ecrã instalado em palco um vídeo com Carolina Deslandes acompanhada por várias mulheres. Seguiu-se "Vai Lá" e "Precipícios", canções do álbum "Caos", editado no início de 2023, e que refletem os últimos anos da sua vida e que foram anos de "muita aprendizagem, de muita dor".

Antes de fechar o primeiro capítulo do concerto, a artista agradeceu às milhares de pessoas que esgotaram a maior sala do Porto, a sua cidade favorita. "Hoje, quando estava no meio camarim, a olhar para o espelho e a convencer-me que merecia estar aqui e que não havia razão para entrar em pânico, eu lembrei-me de uma coisa que me tem acompanhado nos últimos tempos da minha vida e que é: estão sempre a impingir-nos o síndrome do sonho seguinte, trabalhamos muito para uma coisa e, no dia em que estamos a fazê-la, estamos a pensar na próxima ou estamos a boicotar-nos", confessou a cantora.

"Só nos lembramos do quão bonito foi quando passou não sei quanto tempo e voltamos atrás e temos de nos lembrar. E Porto, eu estou a amar esta noite antes que ela seja uma memória. Estou a amar agora. Estou a ser feliz aqui e agora, quero ser feliz aqui e agora. A minha missão com este concerto é que toda a gente que está aqui sentada saia daqui mais feliz, mais acompanhada. A música não é sobre números, é sobre alento, é sobre amor. Nunca se esqueçam disto e muito obrigada por estarem aqui", agradeceu Carolina Deslandes.

No alinhamento seguiu "Conta-me" e "Paz", que também fazem parte do disco "Caos". Canção a canção, as vozes do público foram-se soltando, cantando em coro todos os versos dos temas. Entre lágrimas, abraços e sorrisos, a viagem continuou com "Adeus Amor Adeus", do disco "Casa" (2018).

Com "Canção De Amor", Deslandes abriu o capítulo dedicado ao seu mais recente disco, "Calma". Ao contrário da Altice Arena, por motivos de agenda, a cantora não recebeu Diogo Clemente em palco, mas vestiu uma camisola com o apelido do músico para lhe dedicar o segmento centrado no seu último álbum.

Depois de "Borboletas", a artista recordou "A Vida Toda", a canção que lhe abriu todas as portas. "Antes desta canção não tinha editora, não tinha concertos marcados", recordou. O tema editado em 2018 continua a ser um dos mais celebrados pelos fãs e, na Super Bock Arena, marcou um dos maiores momentos de comunhão entre o público e a cantora.

O desfile de canções continuou com "Brincar De Ser Feliz", que abriu caminho para "A Vida Toda Pt. 2", criada com Diogo Clemente. Os corações continuaram a bater forte ao som de "Nuvem", dedicada ao avô, e "Avião De Papel".

Para a reta final, Carolina Deslandes convocou vários convidados. Van Zee foi o primeiro a subir a palco, para cantar "À Tua Porta", canção que faz parte do jovem músico madeirense e uma das novas promessas da música nacional.

"Usufruam da vossa vida, eu demorei tanto tempo a chegar aqui e ainda bem que esta canção é ouvida por miúdas tão pequeninas. É só isto, já está na altura, está na altura de termos os nossos direitos e de usufruirmos deles. É só isto", sublinhou a artista antes de "Saia Da Carolina", que fez o público saltar das cadeiras e dançar.

No alinhamento seguiu-se "Por Um Triz", que iluminou a Super Bock Arena. Logo depois, Bárbara Tinoco subiu a palco para "Coisas No Silêncio", seguindo-se "Anjos", com Diogo Piçarra, e "Mountains", com Agir.

"Vou sair, vocês pedem 'só mais uma' porque ainda temos coisas para cantar aqui no papel", brincou Carolina Deslandes. Para o final, a artista guardou "Trauma De Abandono", que cantou no meio da multidão que encheu a sala. O adeus foi ao som de "Eco" e de "Não Me Importo", terminando a noite em total ligação com o público.

Na Super Bock Arena - Pavilhão Rosa Mota, no Porto, Carolina Deslandes aqueceu corações numa noite fria e provou, mais uma vez, porque é que uma das artistas mais acarinhadas pelo público português. Sem medo dos sentimentos, com canções e histórias com que todos se relacionam, a artista faz parte da banda sonora de muitas vidas e momentos. Tal como pediu no arranque do concerto, na noite desta quinta-feira, todos foram felizes ao ouvi-la.

ALINHAMENTO:

  • Raiva
  • Vai Lá
  • Precipícios
  • Conta-me
  • Paz
  • Adeus Amor Adeus
  • Canção De Amor
  • Borboletas
  • A Vida Toda
  • Brincar De Ser Feliz
  • A Vida Toda Pt. 2
  • Nuvem
  • Avião De Papel
  • À Tua Porta (C/ Van Zee)
  • Saia Da Carolina
  • Por Um Triz
  • Coisas No Silêncio (C/ Bárbara Tinoco)
  • Anjos (C/ Diogo Piçarra)
  • Mountains (C/ Agir)

Encore:

  • Trauma De Abandono
  • Eco
  • Não Me Importo

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.