Matt Shakman foi contratado pelo estúdio Paramount para trazer "Star Trek" de volta ao cinema.

O realizador vem do mundo da Marvel, tendo dirigido os nove episódios da série "WandaVision", trabalho que lhe valeu uma nomeação para os Emmys esta terça-feira. Dirigiu ainda os episódios "The Spoils of War" e "Eastwatch" de "A Guerra dos Tronos" e dezenas da comédia "Nunca Chove em Filadélfia".

Novamente com JJ Abrams como produtor, não se sabe se vão regressar os atores dos últimos filmes, como Chris Pine (Capitão Kirk) e Zachary Quinto (Spock), mas a Paramount quer que o projeto avance rapidamente: o plano inclui começar a rodagem na primavera de 2022.

De acordo com o Deadline, a mais recente versão do argumento é da autoria de Lindsey Beer ("Chaos Walking") e Geneva Robertson-Dworet ("Capitão Marvel").

O futuro de "Star Trek" no cinema arrasta-se desde o fracasso do terceiro filme da tripulação de Enterprise: "Além do Universo" custou 190 milhões de dólares e só rendeu 343 milhões em todo o mundo em 2016.

Ironicamente, Simon Pegg (Scotty nos últimos três filmes) mostrou-se pouco otimista com o futuro da saga no cinema numa entrevista no ano passado, dizendo que "os filmes 'Star Trek' não fazem o dinheiro da Marvel".

Com a contratação de Matt Shakman, o estúdio parece acreditar que fica mais perto desse objetivo.

Nos últimos anos têm circulado vários projetos "Star Trek" em Hollywood: um teria sido encomendado a Noah Hawley, responsável da série "Fargo", que seria uma continuação dos filmes anteriores; outro, mais mediático, baseava-se numa ideia "mais adulta" de Quentin Tarantino; e um, numa fase muito inicial, vinha de Kalinda Vazquez, ligada à série "Star Trek: Discovery".

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.