"Através de um conjunto de termos-chave transversais às muitas expressões da cultura queer, como o são o 'Cruising', 'Sex', 'Bodies', 'Play', 'Skin' e 'Memory', o festival celebra o corpo e a sua diversidade sexual - o que estes termos nos ensinam sobre a influência dos nossos contextos vivenciais e sociais, e dos lugares que habitamos", explicou hoje a organização.

A sexta edição do Queer Porto abrirá com "Si c'était de l'amour", que teve estreia mundial em Berlim, onde recebeu um prémio, e integrou há poucas semanas o festival IndieLisboa.

O filme documenta o trabalho de "quinze jovens bailarinxs de diferentes origens que se encontram em digressão com 'Crowd', um espetáculo de dança coreografado por Gisèle Vienne, onde se explora a cena rave dos anos noventa".

Segundo a organização, o Queer Porto contará com oito filmes na competição de longas-metragens, enquanto a competição de curtas - apenas com filmes de escolas - contará com obras da Escola Superior de Teatro e Cinema, do Kino-Doc, da Escola Artística de Soares dos Reis e da Ar.Co.

O Queer Porto, que decorrerá até ao dia 17, encerrará com "Le Milieu de L’Horizon", de Delphine Lehericey.

Além dos filmes, o festival associa-se ainda ao coletivo de artistas Prometeu, que fará a 16 e 17 de outubro o evento "Prometeu", com debates, performances, música e exposições nos espaços portuenses Espiga, Instituto e Bardo Creative Ground.

Os festivais Queer Lisboa e Queer Porto exibem "filmes de temática gay, lésbica, bissexual, transgénero, transsexual, intersexo e de outras sexualidades e identidades não-normativas, num género cunhado internacionalmente como 'cinema queer'", explica a organização.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.