O espetacular “A Sociedade da Neve” e o mais intimista “20.000 Espécies de Abelhas” são os filmes favoritos aos Prémios Goya, que serão apresentados no sábado à noite numa gala ensombrada por acusações de violência sexual contra um realizador.

A cerimónia dos "Óscares espanhóis" acontecerá em Valladolid e terá a atriz norte-americana Sigourney Weaver como protagonista: a intérprete de 74 anos, famosa por "Alien" ou "Gorilas na Bruma", receberá pessoalmente um Goya honorário por toda a sua carreira.

O cineasta Pedro Almodóvar, a atriz Penélope Cruz ou os atores Gael García Bernal e José Sacristán, serão alguns dos responsáveis ​​pela entrega dos prémios.

A veterana cantora e atriz espanhola Ana Belén apresentará a gala com o duo de realizadores Javier Calvo e Javier Ambrossi, conhecidos como “os Javis”.

A gala acontece duas semanas após o jornal El País ter publicado o depoimento de três mulheres que acusaram o realizador madrileno Carlos Vermut de as submeter a sexo extremamente violento contra a sua vontade.

Três mulheres acusam prestigiado realizador espanhol Carlos Vermut de violência sexual
Três mulheres acusam prestigiado realizador espanhol Carlos Vermut de violência sexual
Ver artigo

Vermut, de 43 anos, vencedor da Concha de Ouro do Festival de Cinema de San Sebastián em 2014 por "Rapariga Mágica", negou os factos, afirmando que não estava "consciente de ter cometido violência sexual contra nenhuma mulher", mas reconhecendo ter "estrangulado pessoas, sim, mas de forma consentida".

“Sempre pratiquei sexo violento de forma consensual, porque acredito que o consentimento é muito importante”, acrescentou, divergindo das versões das mulheres, que preferiram manter o anonimato e não levaram os factos à justiça por receio de serem prejudicadas profissionalmente.

Coincidindo com as denúncias contra Vermut, surgiram outras contra outro realizador menos conhecido, Armando Ravelo, entre elas as de uma artista que alegou que lhe ofereceu drogas e ver pornografia quando tinha 14 anos.

"A Sociedade da Neve"

A organizadora dos Goya, a Academia Espanhola de Cinema, anunciou que vai “tornar visível” na gala “a exigência de que a violência sexual e os abusos de poder não tenham lugar no mundo do cinema ou na sociedade espanhola como um todo”.

As acusações de agressão sexual por parte de inúmeras atrizes contra o produtor americano Harvey Weinstein, que deu origem ao movimento #MeToo, encorajaram as pessoas a denunciar os abusos neste setor.

Até então, o cinema espanhol saíra ileso e o momento de catarse em Espanha chegou no desporto, com a indignação pelo indesejado beijo na boca que o presidente da federação de futebol, Luis Rubiales, deu à futebolista Jenni Beautiful à vista de todos num estádio, ou a acusação de violação contra o futebolista brasileiro Dani Alves, pela qual foi julgado esta semana em Barcelona.

“20.000 Espécies de Abelhas”, da cineasta basca Estibaliz Urresola, aborda, em tom intimista e numa cidade basca, a questão da identidade de género na infância.

É o filme com mais nomeações aos Goya, quinze, e vem com o aval do Urso de Prata do Festival de Berlim de Melhor Atuação para a atriz infantil Sofía Otero, que, curiosamente, não está nomeada aos prémios espanhóis porque tem menos de 16 anos.

"20.000 Espécies de Abelhas"

A seguir, com 13 nomeações, está "A Sociedade da Neve", do realizador do Barcelona Juan Antonio Bayona, que conta a história verídica de alguns jovens jogadores da equipa de Rugby do Uruguai cujo avião caiu nos Andes em 1972 e que sobreviveram, depois de serem dados como mortos, depois de mais de dois meses de fome e frio na Cordilheira.

Esta produção espanhola ao estilo 'hollywoodiano' da Netflix aspira a dois Óscares, de Melhor Filme Internacional e Melhor Caracterização.

A lista de concorrentes ao Melhor Filme é completada por "Saben Aquell" de David Trueba, "Un amor", de Isabel Coixet, e "Fechar os Olhos" de Víctor Erice.

Erice – que aos 83 anos voltou a dirigir uma longa-metragem após uma pausa de três décadas –, Trueba, Coixet e Bayona disputam o troféu de Melhor Realização juntamente com Elena Martín, por “Creatura”.

Na corrida para o filme ibero-americano do ano estão o português “Alma Viva”, o venezuelano “Simón”, o argentino “Puan”, o chileno “La memoria infinite” e, pela primeira vez, uma produção porto-riquenha, "La aquário".

Surge ainda na categoria de Melhor Filme de Animação “Mataram o Pianista”, de Fernando Trueba e Javier Mariscal, com coprodução portuguesa pela Animanostra, apoio financeiro do Instituto do Cinema e do Audiovisual e participação da RTP.

Salvador Sobral é um dos artistas que vão atuar na cerimónia, juntamente com artistas como David Bisbal, Amaia, María José Llergo e Sílvia Pérez Cruz.

Será a primeira vez que um artista português faz parte dos prémios mais importantes do cinema espanhol.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.