O canal que vai transmitir os Óscares não baixou os preços da publicidade.

De acordo com a Variety, o canal ABC está a pedir dois milhões de dólares por 30 segundos para o evento a 25 de abril.

A publicação acrescenta que "o canal não parece estar a encontrar muita resistência" ao preço, que se mantém semelhante ao dos últimos anos, apesar do impacto que a pandemia está a ter nas audiências de várias cerimónias realizadas durante a pandemia.

Óscares: a lista completa de vencedores
Óscares: a lista completa de vencedores
Ver artigo

A ABC e a Academia vão realizar ter uma cerimónia ao vivo na estação Union Station em Los Angeles, com segmentos transmitidos no local habitual dos Óscares, o Dolby Theatre.

A produção planeia juntar apenas nomeados e respetivos convidados, além dos apresentadores, rejeitando a participação por Zoom.

Tradicionalmente, os Óscares são o segundo programa com mais audiências nos EUA, depois da final do campeonato de futebol americano (Super Bowl), fazendo com que a maior noite de Hollywood renda uma fortuna só em publicidade: só no ano passado, foram quase 130 milhões de dólares.

Mas a cerimónia dos Óscares não escapou à tendência do desgaste de audiências destes eventos, descendo de 41,7 milhões de espectadores nos EUA em 2010 para os 23,6 em 2020, o ano de "Parasitas", o primeiro filme não falado em inglês a ganhar o Óscar de Melhor Filme.

Já a transição para cerimónias virtuais ou híbridas por causa da pandemia traduziu-se em quebras estrondosas de audiências, sempre acima dos 50%: os Emmys em setembro de 2020 ficaram pelos 6,1 milhões; os Globos de Ouro no final de fevereiro pelos 6,9 milhões; os Grammys no início de março ainda chegaram aos 8,8 milhões, mas perderam 10 milhões em relação a janeiro de 2020.

Além do impacto da pandemia no entusiasmo dos espectadores, outras razões apontadas para as descidas são a perda de popularidade da televisão em geral, face a serviços de streaming como a Netflix, a menor disponibilidade para assistir a programas de longa duração como galas (cerca de 4 horas), a fragmentação das audiências e a possibilidade de se assistir aos principais momentos em diferido nas redes sociais.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.