O ator norte-americano Thomas Jefferson Byrd, que participou em vários filmes de Spike Lee, morreu no passado sábado após ser baleado em Atlanta, no estado da Geórgia, confirmaram as autoridades. A polícia está a investigar o caso, mas ainda não houve nenhuma detenção.

O ator de 70 anos foi encontrado na manhã de sábado no sudoeste da cidade pela polícia de Atlanta, com vários ferimentos de bala nas costas, disse um porta-voz da polícia à AFP esta segunda-feira. A equipa médica enviada ao local confirmou a morte do ator.

Ator intenso com grande experiência em teatro, Byrd só começou a fazer filmes aos 45 anos, quando Spike Lee lhe ofereceu um papel secundário no filme "Passadores", de 1995.

Como líder em "Passadores" ou como pai em "Marcha Sobre Washington" (1996), o ator impôs a sua técnica e físico atípicos no universo de Spike Lee, antes de ser convidado por outros realizadores. Continuou, porém, a participar de vários projetos do cineasta nova-iorquino. Mais recentemente, Thomas Jefferson Byrd participou na série "Os Bons Amantes" (2017-2019) e no filme "Chi-Raq" (2015).

Nas redes sociais, Spike Lee recordou o ator, frisando que considerada Thomas Jefferson Byrd o seu "irmão". "Byrd era corajoso, engraçado, criativo, tranquilo, expressivo e era um prazer tê-lo por perto", escreveu no Twitter o ator americano Wendell Pierce ("The Wire", "Treme").

"Adorei trabalhar contigo, Byrd", escreveu a atriz Viola Davis.

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.