A antiga "Bond Girl" Molly Peters, que entrou em "007 - Operação Relâmpago" ao lado de Sean Connery, morreu aos 75 anos, informou a conta oficial de James Bond no Twitter.

No filme de 1965, o quarto da saga, a atriz inglesa era Patricia, uma fisioterapeuta num centro de saúde onde o agente secreto 007 recuperava de uma missão e acabava por lhe salvar a vida quando este era atacado pela organização SPECTRE.

Embora não fosse a "Bond Girl" mais importante, foi a primeira na saga que aparecia a tirar a roupa, o que gerou grande controvérsia e quase valeu ao filme a classificação etária "X", reservada ao cinema pornográfico.

Mais de 30 momentos do argumento foram alvo de objeções, mas acabou por ser cortado um relativamente banal em que Bond acariciava as costas desnudadas da fisioterapeuta com uma luva.

A "seminudez óbvia" do vestido e a "forte conotação sexual" da luva foram consideradas "demasiado picantes" para o público da época, decidiram os censores, que numa carta à produção também notaram que a "temperatura do argumento tinha sido elevada deliberadamente, com a inclusão de mais sexo, sadismo e violência do que nos filmes anteriores de Bond".

"007 - Operação Relâmpago" foi o primeiro filme de Molly Peters e no comentário à edição DVD é referido que a sua curta carreira teve por causa divergências com o seu agente.

Ela ainda fez "Missão em Teerão" em 1966 e um telefilme antes de abandonar o cinema dois anos mais tarde, aos 26 anos, após um papel muito secundário em "Jerry em Londres".

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.