"Free Guy: Herói Improvável" foi o filme mais visto este fim de semana nos EUA e em vários países do mundo, como Nova Zelândia, Holanda, Bélgica e Israel.

A comédia com Ryan Reynolds que apenas está disponível nos cinemas arrecadou 28,4 milhões de dólares na sua estreia nas bilheteiras americanas, ultrapassando bastante as previsões, na ordem dos 20 milhões. No mercado internacional foram 22,5 milhões.

Com estreia marcada em Portugal para esta semana, "Free Guy" é o primeiro filme lançado pela Disney em três anos que não é uma sequela ou está ligado a uma saga.

No sábado, ainda antes de serem conhecidos os números finais, Ryan Reynolds, o protagonista, confirmava nas redes sociais que a Disney queria "oficialmente" fazer uma sequela, descrevendo isso como uma "ironia" depois do projeto ser promovido durante três anos como um trabalho original à volta do caixa de um banco descobre que é, na verdade, figurante num videojogo, e decide tornar-se o herói da sua própria história... que ele mesmo reescreve.

Confirmando a informação, a mensagem foi partilhada pelas redes da 20th Century Studios (antiga 20th Century Fox, que pertence à Fox).

Citado pelo Deadline Hollywood, o realizador Shawn Levy sublinhou: "Quero que que os estúdios vejam que quando damos à cultura, quando damos aos espectadores, algo novo e original, e e, portanto, inerentemente original, o público vem, o público existe. Se acabarmos a evoluir para uma indústria que não é mais do que sequelas e sagas, seremos mais pobres por isso. Não apenas como uma indústria, mas como uma cultura".

Ligeiramente acima das previsões, em segundo lugar nas bilheteiras americanas ficou a estreia da sequela "Nem Respires 2", com 10,6 milhões de dólares, também já disponível nos cinemas portugueses.

Embora o valor fique muito abaixo dos 26 milhões da estreia do primeiro filme que surpreenderam Hollywood em agosto de 2016, é descrito como positivo para um lançamento durante a pandemia pois o orçamento ficou pelos 15 milhões.

Em terceiro lugar ficou "Jungle Cruise", com 9 milhões (e 82,1 milhões desde a estreia há três semanas), seguido da estreia de "Respect", o biopic sobre a "Rainha do Soul" Aretha Franklin, com 8,8 milhões, um valor dentro das expectativas mas que, segundo os analistas, confirma a dificuldade acrescida durante a pandemia de levar aos cinemas os espectadores com mais de 34 anos.

A fechar o TOP5 ficou o segundo fim de semana de "O Esquadrão Suicida", com 7,75 milhões de dólares (e um total americano de 42,9 milhões), uma quebra de 70% em relação à estreia.

Os analistas atribuem o mau percurso comercial a uma falha de marketing na associação do filme aos antecessores (incluindo "Esquadrão Suicida", de 2016), a insatisfação dos fãs com outros filmes da DC Comics e o facto de estar disponível em streaming na HBO Max nos EUA.

Tudo o que se passa à frente e atrás das câmaras!

Receba o melhor do SAPO Mag, semanalmente, no seu email.

Os temas quentes do cinema, da TV e da música!

Ative as notificações do SAPO Mag.

O que está a dar na TV, no cinema e na música!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOmag nas suas publicações.