"À Procura de Dory", a sequela de "À Procura de Nemo", teve uma excelente estreia este fim de semana.

O novo filme mostra o peixe com memória curta (voz de Ellen DeGeneres), uma personagem secundária do primeiro filme que se tornou bastante popular, a tentar reencontrar os seus pais.

Famílias de espectadores, mas também muitos dos que eram mais jovens em 2003, conduziram a uma receita de 136,2 milhões de dólares nos Estados Unidos e um novo recorde para a abertura de um filme de animação.

Menos de um ano após o fracasso de "A Viagem de Arlo", o primeiro na história do estúdio, a Pixar volta a beneficiar da reputação de lançar grandes filmes desde "Toy Story" em 1995 e com críticas extremamente positivas, "À Procura de Dory" ultrapassou os 121,6 milhões de "Shrek, O Terceiro", um primeiro lugar que já vinha de 2007.

A nível internacional, os 17,5 milhões atingidos na China também são um recorde para um lançamento da Pixar.

Em segundo lugar nas bilheteiras americanas ficou a estreia de "Central de Inteligência", uma comédia com Dwayne Johnson e Kevin Hart.

Os 34,5 milhões são um excelente ponto de partida para um filme que apenas custou 50. A história envolve um antigo 'geek' que se tornou num letal agente da CIA (Johnson) e arrasta para um caso o antigo “maior tipo do liceu” (Hart), agora um contabilista que perdeu os seus dias de glória.

O campeão da semana passada, o título de terror "The Conjuring 2: A Evocação", ficou em terceiro com 15,6 milhões, e um total acumulado de 71,7.

Estes três sucessos dão alguma vitalidade a um mercado que estava em crise deoiis de várias estreias não corresponderem ao que se esperava, nomeadamente "Warcraft", que só não é uma catástrofe comercial graças ao excelente acolhimento na China, mas principalmente sequelas como "Alice do Outro Lado do Espelho", "Má Vizinhança", “X-Men: Apocalipse”e "Mestres da Ilusão 2".

Newsletter

Fique a par de todas as novidades do SAPO Mag. Semanalmente. No seu email.

Notificações

Os temas quentes do cinema, da TV e da música estão nas notificações do SAPO Mag.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.