Pesquisar Cartaz

Atualidade

Notícias

«Singularidades de Uma Rapariga Loura», de Manoel de Oliveira, estreia no Festival de Berlim

O mais recente filme de Manoel de Oliveira, "Singularidades de Uma Rapariga Loura", passará em estreia mundial na 59.ª edição do Festival Internacional de Cinema de Berlim.

O realizador português assistirá em Berlim à estreia do filme, no Cinema Paris, na Kurfuerstendamm, famosa avenida da parte ocidental da cidade, em dia ainda a programar, disse hoje à Lusa a porta-voz do festival, Frauke Greiner.

«Singularidades de Uma Rapariga Loura» foi seleccionado para para a secção Berlinale Special, onde passam extra-concurso novas obras de realizadores contemporâneos que se caracterizam por serem pouco convencionais.

Com a escolha para esta secção, a Berlinale, que decorre entre 05 e 15 de Fevereiro, pretende assim "fazer uma homenagem especial" aos realizadores em causa e dar-lhes a oportunidade de apresentar pessoalmente os seus filmes, lê-se num comunicado de imprensa divulgado hoje.

Além de «Singularidades de Uma Rapariga Loura», produção luso-francesa baseada num conto de Eça de Queirós e protagonizado por Ricardo Trêpa, Catarina Wallenstein e Carlos Santos, serão exibidos mais 12 filmes na secção Berlinale Special, oito dos quais em estreia mundial.

A selecção inclui, nomeadamente, «Adam Resurrected», de Paul Schrader, com Willem Dafoe, «Bellamy», de Claude Chabrol, com Gérard Depardieu, «Terra Madre» de Ermanno Olmi, e «Effi Briest», da alemã Hermine Huntgeburth, com Julia Jensch.

Também esta semana, foram já anunciados 25 dos 26 filmes seleccionados para a principal secção da Berlinale, a Competição, oito dos quais serão exibidos extra-concurso.

A película que falta para completar esta secção será anunciada em conferência de imprensa em Berlim, a 27 de Janeiro.

Ao longo do 59º Festival de Berlim, considerado um dos três maiores do mundo, a par dos seus congéneres de Cannes e de Veneza, serão exibidos cerca de 800 filmes nas várias secções, seleccionados entre quase seis mil obras visionadas pela equipa chefiada pelo director Dieter Kosslick.

Fonte: SAPO/Lusa

Comente esta história ↓ ou leia outros artigos...

Alguns artigos relacionados

Neste Artigo

Pessoas neste artigo

Partilha

siga o sapo cinema nas redes

Comentários

No Facebook

Trailers

Alentejo, Alentejo

De origem popular, o "cante" alentejano sobrevive graças aos grupos que o cultivam no Alentejo e na periferia de Lisboa, os quais recapitulam em ensaio o repertório conhecido de memória, quase sem registo escrito ou sonoro e com reduzidas alterações criativas. No Alentejo, dezenas de grupos amadores reúnem-se regularmente para ensaiar antigos cantos polifónicos e para improvisar cantos...

Ficha de Filme